sábado, 18 de setembro de 2010

VISÕES DO CASAMENTO PELA ÓTICA DE ALGUNS FILÓSOFOS

para quem acha que os filósofos antigos não
se manifestavam acerca do casamento
é possivel encontrar algumas visões otimistas,
como a o filosofo suiço henri frédérick amiel .
¨o casamento deve ser uma educação mútua e infinita¨

soren kierkegaard , filósofo dinamarques disse :
¨o casamento feliz é e continuará a ser a viagem de descoberta mais importante que o homem jamais poderá empreender ¨

mas poucos conseguem supera a ironia de leonardo da vinci:
 
. ¨ o casamento é como enfiar a mão em um saco de serpentes na esperança de apanhar uma enguia ¨



3 comentários:

Suzi disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Suzi disse...

.

Leonardo da Vinci foi o melhor. rsrs

Te trago um pouco do Nietzsche sobre o assunto:


Matrimônio: chamo assim a vontade de dois criarem um que seja mais do que aqueles que o criaram. O matrimônio é respeito recíproco: respeito recíproco dos que coincidem em tal vontade.

Seja este o sentido e a verdade do teu matrimônio; mas isso a que os estão demais, os supérfluos, chamam matrimônio, isso como se há de chamar?

Ai! Que pobreza de alma entre dois! Que imundície de alma entre dois! Que mísera conformidade entre dois!

A tudo isso chamam matrimônio, e dizem que contraem estas uniões no céu.

Pois bem! Eu não quero esse céu dos supérfluos. Não; eu não quero essa bestas presas com redes divinas!

Fique-se também por lá bem longe de mim esse Deus que vem coxeando abençoar aquilo que não uniu.

(Assim falava Zaratustra)

Como meu livro é muito antigo, talvez seja difícil encontrar igual tradução.

Te deixo sorrisos

=)

Kah disse...

Apreciei mais as palavras de NIetzsche